Knauf do Brasil - Referência mundial em sistemas de construção a seco Knauf do Brasil

Knauf Knauf

Sustentabilidade

 

A Knauf considera que não basta preocupar-se com as questões ambientais. É preciso agir continuamente e, para isso, mantém uma equipe de especialistas que trabalham no constante aprimoramento dos processos produtivos em paralelo aos processos de preservação e recuperação do equilíbrio natural das áreas em que está presente, desde a mineração de gipsita até a fabricação de seus produtos e sistemas.

É interessante observar que, ao contrário do que ocorre com outras matérias-primas, a extração da gipsita não gera resíduos e requer pouca interferência na superfície. Na produção de gesso e derivados, o principal efluente é o vapor d’água, que é limpo e não contaminante. E o gesso é um material com propriedades físicas e biológicas favoráveis ao ser humano e amigáveis ao meio ambiente:

• isolante térmico e acústico;
• regulador do clima;
• mantém o grau de umidade em equilíbrio;
• tem baixa densidade e alta consistência;
• não é agressivo à pele;
• é inodoro, livre de gases tóxicos;
• não é inflamável.

Drywall: resíduos 100% recicláveis

Os resíduos de chapas para drywall, as massas para tratamento de juntas e colagem e os componentes metálicos do sistema, como parafusos e perfis estruturais, são todos totalmente recicláveis.

Os restos de gesso, em especial, podem ter três destinações principais: reaproveitamento pelas fábricas de chapas, uso como ingrediente da produção de cimento e utilização na agricultura como condicionador de solos. Já estão em operação em vários municípios brasileiros Áreas de Transbordo e Triagem (ATTs), licenciadas pelas respectivas prefeituras para receber resíduos de gesso, entre outros materiais. Depois de triá-los e homogeneizá-los, são vendidos aos segmentos recicladores.

Os resíduos de materiais gerados nas obras, de acordo com o manual “Resíduos de gesso na construção – coleta, armazenagem e reciclagem”, publicado pela Associação Brasileira do Drywall e disponível para consulta e download gratuito no site www.drywall.org.br, devem ser coletados e armazenados em local específico nos canteiros, separados de outros materiais como madeira, metais, papéis, plástico, restos de alvenaria (tijolos, blocos, argamassa) e lixo orgânico.

 

Na extração de matéria-prima (gipsita), leva-se em conta a proteção do ecossistema e das espécies vegetais e animais durante e depois do processo mineração.

A energia térmica necessária para a calcinação da gipsita e a secagem das chapas para drywall é gerada por meio da combustão de gás natural, minimizando a emissão de efluentes gasosos.

A transformação da matéria-prima em produto é totalmente isolada do meio e as emissões são adequadamente tratadas.

As principais emissões são de vapor d’água, não contaminante, e resíduos mínimos da combustão de gás natural.

As plantas industriais não produzem efluentes líquidos, uma vez que a água incorporada ao gesso é evaporada no processo de secagem ou permanece incorporada ao produto.

As plantas industriais não produzem efluentes sólidos, já que os resíduos de produto são reincorporados como matéria-prima.

Todas as instalações de transporte de material se realizam em ambiente fechado, evitando a liberação de pó no ambiente interno das fábricas ou para seu exterior.